Faça uma pergunta
Indústria Automotiva, Materiais, Espumas plásticas

Utilização do Plástico na construção automotiva - desenvolvimento de tecnologia e perspectivas

14 dezembro 2021

Acredite se quiser, plásticos e carros são invenções da mesma época, o século XIX. Hoje, eles são cada vez mais utilizados na construção de carros modernos. Neste cenário, eles são frequentemente citados como os materiais do futuro devido ao seu peso leve, resistência e fácil formabilidade. Mas os plásticos modernos oferecem muito mais vantagens.

Os plásticos estão na indústria automotiva desde o seu início. O material termoplástico mais antigo, o celuloide, foi inventado em 1855 e, apenas trinta anos depois, foi construído o primeiro veículo a ser considerado um carro, o Carl Benz Patentwagen 1. A primeira tentativa de construir um carro feito inteiramente de material plástico foi realizada por Henry Ford em 1941, devido ao racionamento do aço durante a guerra. O uso massivo do plástico, porém, começou com a produção do modelo Ford T em 1951.

Hoje, estima-se que um veículo contenha entre 40 e 100 kg de diferentes peças plásticas, que representam apenas 10% do seu peso. Com o progresso dinâmico nas tecnologias de processamento de plásticos, a gama de aplicações na construção de veículos modernos continua a crescer e os projetistas e construtores têm cada vez mais oportunidades, graças à excelente qualidade e aos parâmetros das peças de plástico.

Peças automotivas de plástico leve

A substituição gradativa de componentes metálicos por peças automotivas plásticas sempre foi motivada pela necessidade de reduzir o peso do veículo e melhorar o desempenho. Os plásticos têm uma densidade menor do que o aço, oferecendo propriedades cada vez melhores em termos de resistência mecânica e durabilidade. Inicialmente, os plásticos automotivos eram usados principalmente para acabamento de interiores. Hoje, eles também são usados para peças externas de automóveis tradicionalmente reservadas para chapas de metal e aço, como portas, para-lamas, capôs e até mesmo para-choques. Não é de se admirar – o ACC estima que os carros americanos viajem cerca de 1,5 km a mais por litro de gasolina do que fariam sem os plásticos.

Maior alcance com menores requisitos de energia é um benefício chave para o segmento de carros elétricos em particular. Hoje, novos tipos de plásticos são usados em carros. Por exemplo, o assento de espuma de poliuretano tradicional e os painéis de encosto de cabeça estão sendo substituídos por polipropileno expandido (EPP) muito mais leve e durável, que também é um material renovável e, portanto, mais adequado às tendências automotivas atuais.

Novos tipos de plásticos em carros

Uma das razões pelas quais as peças de plástico estão se tornando cada vez mais importantes na construção de carros modernos é o rápido desenvolvimento da tecnologia de processamento de plástico. Os plásticos usados em carros têm potencial para desenvolver novas propriedades para atender às necessidades alinhadas com a rápida mudança da indústria automotiva. Um exemplo é a segurança, que agora é discutida principalmente em termos de sistemas ativos. Porém, a crescente sofisticação da eletrônica deve ser acompanhada por uma construção robusta do veículo e o uso de novos materiais que protejam melhor não só os passageiros, mas também os componentes sensíveis dos sistemas inteligentes.

A espuma de polipropileno não só absorve choques e impactos muito bem, mas também isola termicamente cabos e componentes eletrônicos. Graças aos aditivos especiais, pode suportar incêndios e temperaturas de até 140°C, conforme confirmado por testes UL 94. Além disso, já é utilizado com sucesso, por exemplo, na fabricação de baterias para carros elétricos, devido à sua resistência à perfuração, bem como pela possibilidade de conferir propriedades antiestáticas. Peças especializadas feitas desse tipo de plástico também podem oferecer maior resistência a choques ou fadiga mecânica.

Plásticos renováveis em automóveis são a tendência atual

Os interiores dos carros premium costumavam ser caracterizados por adições exclusivas de couro natural, metal brilhante ou madeira. Hoje, a ecologia se tornou a referência de luxo. Por isso, os veículos de alto padrão não podem deixar de apresentar elementos feitos de materiais totalmente renováveis, que não esgotam os recursos naturais e são produzidos por meio de processos ecológicos. Seu uso não é mais exceção, mas se tornou a regra. Na Europa, os fabricantes são até obrigados a usar esses materiais de acordo com as diretivas da UE, que aumentam constantemente os requisitos relacionados à adequação dos veículos para a reciclagem. A espuma de polipropileno EPP produzida pela Knauf Industries atende totalmente a esses requisitos e oferece aos projetistas uma ampla gama de possibilidades para projetar individualmente os interiores de carros de última geração.

Este plástico moderno é 100% reciclável e pode ser reaproveitado em processos de fabricação subsequentes. O processo de moldagem por compressão em si não gera emissões nocivas para a atmosfera, e a água do processo necessária para gerar o vapor circula em um circuito fechado. Além disso, graças às modernas técnicas de visualização 3D, as peças de plástico para automóveis podem ter uma estética totalmente personalizada como os grânulos coloridos e texturas táteis,. Tudo isso faz desse material uma parte do futuro da indústria automotiva.

Precisa de suporte?

Faça uma pergunta.

Política de cookies

Este site usa cookies. Ao continuar a navegar no site, você concorda com o uso de cookies.
Descubra mais | Perto

 

Contato

Faça sua pergunta em uma pesquisa individualizada e vamos lhe dar uma resposta detalhada, em qualquer país/região onde você precisar de nosso apoio.