Faça uma pergunta
Futuro, Indústria Automotiva, Segurança

Novas tendências e desenvolvimentos na indústria automotiva global e o impacto do COVID-19

31 janeiro 2022

A epidemia de COVID-19 teve um impacto significativo no funcionamento de muitos setores importantes da economia global, como a indústria automotiva. Além dos efeitos negativos de curto prazo, como cadeias de suprimentos interrompidas e produção lenta, a pandemia também resultou em algumas mudanças de longo prazo e, de certo modo, até positivas no processo de desenvolvimento de novos produtos na indústria automotiva. e alguns novos direcionamentos de desenvolvimento.

Tamanho do mercado global da indústria automotiva antes e depois do COVID-19

Para começar a considerar o impacto do surto de COVID-19 nas mudanças na indústria automotiva, primeiro vale a pena observar o tamanho da indústria automotiva global. a dimensão e o potencial deste setor. De acordo com estatísticas da indústria automotiva global, ela emprega 14 milhões de pessoas somente na Europa, 8 milhões nos EUA e 5 milhões na China. Esse mercado está estruturado como uma rede complexa de cadeias entre os fabricantes do produto, os fornecedores de componentes de primeira, segunda, e terceira camadas, bem como entre fabricantes e distribuidores de automóveis e o cliente final. As restrições, introduzidas em 2020, resultaram em fechamento de fábricas, atrasos significativos nas entregas e perdas financeiras significativas para muitas empresas. A indústria automotiva no Reino Unido encolheu até 29% em apenas um ano. De acordo com a análise da indústria automotiva global, o mercado automotivo na Europa precisará de cerca de 10 anos para atingir o tamanho de 2019. Em contrapartida, a indústria automotiva na China teve perdas menores, tornando-se o mercado líder com uma taxa de produção de 48,9 carros por minuto depois de se recuperar rapidamente da pandemia. Em termos de comparação, nos Estados Unidos o número é de 20,7 e na Alemanha apenas 8,9. O principal desafio para os próximos anos será, portanto, reconstruir a produção, mas há outros desafios também. A pandemia deixou uma marca muito mais profunda nas expectativas e no comportamento dos clientes. Alguns deles já tinham surgiram antes, e alguns são completamente novos.

Micro mobilidade – tendência no mercado automotivo global de transporte urbano – rumo à eletro mobilidade

O efeito mais óbvio da pandemia nas grandes cidades foi uma mudança maciça do transporte público para o carro particular, moto ou bicicleta. Isso não é surpreendente, uma vez que o uso de meios de transporte individuais gera um risco muito menor de infecção. Um retorno completo a esse modo de transporte só pode ser esperado quando a pandemia terminar. De acordo com estimativas da McKinsey, a micro mobilidade é uma tendência muito recente na tecnologia automobilística global, que continuará a crescer nos próximos anos.

Em conexão com o problema do aumento do tráfego e dos níveis de emissão de CO2 nas áreas urbanas, um desafio significativo é a expansão da rede de recarga para carros elétricos, para que eles possam se tornar o principal meio de transporte individual, substituindo os veículos de combustão interna. De acordo com os cálculos da Comissão Europeia, o objetivo de reduzir as emissões de CO2 em 50% até 2030 é viável se houver cerca de 6 milhões de pontos de carregamento para carros elétricos em toda a União Europeia. Atualmente, existem menos de 225.000 deles, e 70% deles estão localizados em apenas três países: Holanda, França e Alemanha. Para efeito de comparação, na China, existem atualmente mais de 330.000 carregadores públicos para carros elétricos.

Leia também: Impacto econômico do coronavírus vs. desenvolvimento de carros autônomos além de 2021

Previsão da indústria automotiva global no contexto de transporte verde e redução de CO2

Considerando os dados mais recentes relativos aos progressos na implementação dos pressupostos do Pacto Ecológico Europeu, o nível médio de emissões geradas pelos automóveis novos de passageiros habilitados na União Europeia deverá diminuir 37,5% até 2030, face a 2021. Entretanto, o relatório Electric Vehicle Outlook 2020 elaborado pela BloombergNEF indica que as emissões de CO2 continuarão a crescer até 2033, mesmo que a indústria automotiva global esteja passando por intensa eletrificação.

Isso significa que as premissas atuais precisam ser revisadas e novas medidas implementadas para acelerar o processo de substituição de carros com motor a combustão por elétricos. O relatório também indica que haverá mais de 500 novos modelos de carros elétricos no mercado em 2022, apesar da crise do COVID-19. Cada vez mais fabricantes declaram que passarão a produzir apenas carros elétricos antes de 2030, ou até alcançar a neutralidade climática completa. Independentemente dos planos de retirada de motores de combustão interna do mercado europeu após 2035, também houve projetos visando preservá-los. Um deles prevê a criação de um novo biocombustível ecológico produzido a partir de algas.

Polipropileno – solução para o futuro verde da tecnologia automobilística global, um carro mais leve é um carro ecologicamente correto

Um desafio atual que continua a aparecer na previsão global da indústria automotiva é a redução da tara dos veículos. Por um lado, isso reduzirá a combustão e as emissões de CO2 dos carros movidos a motores tradicionais e, por outro, aumentará a autonomia dos carros elétricos. Novas tecnologias são necessárias para substituir os materiais tradicionais da carroceria. Um deles poderia ser, por exemplo, os compósitos metálicos leves, mas por enquanto são relativamente caros e aumentam o preço final dos carros, o que pode torná-los inacessíveis ao consumidor de massa. Um material importante para o futuro da indústria automotiva que já está disponível e não requer tecnologias complexas de processamento é o polipropileno expandido (EPP).

Esse material ultraleve, que tem 95% de volume de ar, já é usado em uma ampla gama de componentes da carroceria como amortecedores, preenchimentos de assentos, pisos, forros de teto, painéis de portas e tampas do porta-malas. Em comparação com os elementos produzidos a partir de espumas tradicionais, eles são até 60% mais leves, o que permite uma redução real no peso do carro.

Leia também: Componentes automotivos fabricados pela Knauf Automotive

 Kit e hifi trunk storage box fabricados pela Knauf Industries.
Kit e hifi trunk storage box fabricados pela Knauf Industries.

A tecnologia ecológica de processamento de plásticos, por exemplo o processamento de polipropileno com o uso de vapor de água circulando em círculo fechado, permite um ajuste muito flexível da pressão de espuma e, consequentemente, do parâmetro de densidade do material. Dependendo do elemento fabricado e seu local de aplicação, ele pode obter propriedades específicas, como aumento da resistência mecânica ou aumento do isolamento térmico. A versatilidade, economia de produção e total reciclabilidade deste material fazem dele uma solução para o futuro verde da indústria automotiva. Por razões ecológicas, as embalagens retornáveis de transporte também são uma boa solução para garantir a segurança dos componentes, reduzir o desperdício de embalagens e otimizar custos.

Entre em contato conosco para mais informações e as melhores soluções de fabricação em 2022.

Precisa de suporte?

Faça uma pergunta.

Política de cookies

Este site usa cookies. Ao continuar a navegar no site, você concorda com o uso de cookies.
Descubra mais | Perto

 

Contato

Faça sua pergunta em uma pesquisa individualizada e vamos lhe dar uma resposta detalhada, em qualquer país/região onde você precisar de nosso apoio.